14 de jan de 2017

Desafio das 52 semanas #21

Epaaa, que já faz quase oito meses desde que pedi perdão pelo vacilo e nunca mais postei nadinha em relação ao #D52S... Mas nunca é tarde, né, mores? Estamos aí, seguindo o combinado de só postar quando der na telha, mesmo que com isso eu 'talvez leve bem mais que 52 semanas' para completar as 52 semanas do desafio. É isso, foco! Nesse ritmo, acho que consigo terminar antes de 2040 (bem, talvez). :P

Não conhece o desafio? Clique aqui! ;)


Tema da Semana:
~ * ~
Meus piores defeitos.


1. Insegurança. Nem precisa explicar. Essa aí é uma companhia quase tão constante quanto indesejada, e aliás, ela sempre chega de mãos dadas com o coleguinha medo aquele miserável. E se a insegurança me ataca até nas coisas mais banais (sim, ela ataca), imagina nas grandes...

2. Ansiedade. Demais. Qualquer coisa - seja grande ou pequena, importante ou não tão importante, preocupante ou feliz, enfim, praticamente qualquer coisa tem o poder de me deixar ansiosa, e JESUS AMADO, que coisa estafante é viver nesse ritmo.

3. Pessimismo. Eu ADORARIA ser uma dessas pessoas que enxergam o copo meio cheio, mas eu geralmente tendo a enxergá-lo meio vazio. Infelizmente.

4. Mau humor. Eu não sou uma pessoa ranzinza, na verdade meu humor é até bastante ok na maior parte do tempo. Mas quando a nuvenzinha negra aparece, meu amigo, sai de baixo... às vezes nem eu me aguento. E coloquei esse ítem aqui na lista porque, apesar de não ser uma constância, também não é assim tão difícil despertar essa minha faceta.

5. Não sei flertar. Simplesmente não sei. Acho que faltei nessa aula, ou então quando estava me criando Deus esqueceu de colocar esse ingrediente na mistura, porque olha, sou um desastre. #PrefiroNãoComentar

- Eita, que voltar a postar o #D52S com um tema queima-filme-baixo-astral (chama a Xuxa!) como esse é meio desanimador, haha... :P Mas tudo bem, depois vêm temas mais legais. Se tivermos sorte, vai me dar vontade de postar de novo antes do ano que vem. ;)

8 de jan de 2017

Leituras de 2016.

Concluídas: 24

A Corrente - Estevão Ribeiro (★★★★★) (Releitura!)

Falsas Aparências - Georgina Devon (★★★★)

Zoo - James Patterson (★★★★★)

O Último dos Canalhas - Loretta Chase (★★★★★)

Aposta no Amor - Candace Camp (★★★★)

Conquista do Amor - Candace Camp (★★★★★)

A Ilha dos Mortos - Rodrigo de Oliveira (★★★★★)

O Quarto Dia - Sarah Lotz (★★★★★)

Bodas de Desafios - Candace Camp (★★★★)

A Dança da Corte - Candace Camp (★★★★★)

Escândalo - Candace Camp (★★★★★)

Ilusão - Nicola Cornick (★★★★★)

Ligeiramente Escandalosos - Mary Balogh (★★★★★)

O Acerto de Contas de Uma Mãe - Sue Klebold (★★★★)

Um Beijo Inesquecível - Julia Quinn (★★★★)

Ligeiramente Seduzidos - Mary Balogh (★★★★★)

Indiscreta - Candace Camp (★★★★★)

Dead Island - Mark Morris (★★★★★)

Fúria - Stephen King (★★★★★)

Ligeiramente Pecaminosos - Mary Balogh (★★★★★)

A Colônia - Ezekiel Boone (★★★★★)

Silêncio na Floresta - Harlan Coben (★★★★)

Lucíola - José de Alencar (★★★★★)

Diva - José de Alencar (★★★★★)

Em andamento: 2

Era Uma Vez no Outono - Lisa Kleypas (★★★★★)

Grimm's Fairy Tales - Irmãos Grimm (★★★★★)



* * *

Considero que li pouco em 2016. Vinte e quatro livros é um número bem baixo, especialmente para uma pessoa como eu, que fui uma leitora voraz a maior parte da minha vida. Mas tem sido assim nos últimos tempos, na verdade... uma ressaca literária que parece difícil de passar. É raro um livro me fisgar pra valer hoje em dia, e se isso não acontece, a preguiça me domina. Aliás, em 2016 eu passei por fases de devorar três ou quatro livros livros seguidos, em poucos dias, e depois passar séculos sem pegar nada para ler. Vai entender...

Outro destaque é que 2016 foi definitivamente o ano dos romances históricos quase de banca. A maioria dos livros que li foram nesse estilo, e, olhando a lista, chego à conclusão de que, em geral, esses foram os que mais me agradaram - mais até do que os livros de terror e pós-apocalípticos, que vinham sendo meus queridinhos nos últimos tempos. Não que em algum momento eu tenha deixado de gostar de romances, claro, mas 2016 quase me faz lembrar do começo da minha adolescência, quando eu devorava dezenas deles, um atrás do outro, e não cansava nunca.

(Mas ah, gente, romances, né? São uma delicinha. Deixa a gente fantasiar um pouquinho... ;))

No mais, eu espero que 2017 seja melhor que 2016 no quesito leitura. Sinto falta de verdade de ser uma leitora voraz, era tão bom... Vou tentar me empenhar para ler mais esse ano. Afinal, tem tanta coisa boa por aí, e eu aqui perdendo tempo.

(Mas não prometo nada porque quem me conhece já sabe como eu sou ÓTIMA #sqn com esse tipo de meta, mas vamos ver no que dá)

E é isso. Um bom 2017 literário para os que, como eu, são desses! ;)

Beijos. 

PS: Se alguém quiser acompanhar minhas leituras ao longo do ano, é só clicar na aba Leituras ali em cima, que eu mantenho sempre atualizada. :)

3 de jan de 2017

Leve...

Ligo a caixinha de música. O som reverbera e lá vai o pequeno, pedalando placidamente por seu mundinho de madeira feito a mão. Fecho os olhos e suspiro, a cançãozinha doce preenchendo a cabeça e o coração, um sorrisinho no canto dos lábios. Está tudo um caos, está tudo embaraçado, tem muito nó pra desfazer, tem muito pano pra remendar, tem muita poeira pra tirar de debaixo do tapete. Mas ainda assim, o dia foi leve. Foi feliz. Foi de acalentar a alma. Foi de sorrir, de brincar, de amar, leve, leve. Vai dar tudo certo. Ou já está dando certo, de um jeito meio torto e meio louco? Talvez. Provavelmente. A música toca e repete e repete. O sorriso cresce. Um ciclo termina, outro recomeça... e recomeços são cheios de possibilidades. São bons.

Vai dar tudo certo. Já está dando.