19 de nov de 2013

50 perguntas para abrir a sua mente #1

Sabe que eu sinto uma certa falta dos selinhos e memes antigos, daqueles que eu costumava responder na época do finado adormecido Coisas Minhas? É verdade que chegou um tempo onde começaram a surgir montes deles, e o negócio acabou enjoando. Mas de vez em quando, é divertido. Especialmente quando você acha um que vale a pena...

Encontrei esse aqui no blog da Cinthya Rachel (eu iria completar com um "a Biba do Castelo Rá-Tim-Bum" - mas acho que ela já superou essa fase há muito tempo e não deve curtir muito comentários assim), e amei. Vou responder. Mas como acho cinquenta perguntas muita coisa pra um post só, vou dividir, se não se importam.



* * *

Então, vamos lá. Perguntas para abrir a minha mente...

1. Qual seria a sua idade se você não soubesse quantos anos você tem?

Que vergonhoso, mas às vezes sinto que parei na minha dramática adolescência. Eu diria uns dezesseis anos.

2. O que é pior: errar ou nunca tentar?

Tenho a sensação de que a resposta correta para essa pergunta seria "nunca tentar". Mas a verdade é que, no meu dia dia... acho pior errar. Infelizmente. Bobeira, não?

3. Se a vida é curta, porque fazemos muitas coisas que não gostamos e gostamos de muitas coisas que não fazemos?

É uma pergunta que eu sempre faço a mim mesma. E ainda não encontrei uma resposta satisfatória.

4. Quando tudo foi dito e feito, você disse mais do que fez?

Com certeza. Meu sobrenome inclusive poderia ser Fala-Muito-Faz-Pouco.

5. Qual é a coisa que você mais gostaria de mudar no mundo?

Daria uma injeção bombástica de empatia na humanidade. Gente que é capaz de se colocar no lugar do outro respeita, ajuda, não mata, não destrói, não incomoda. Cada vez mais me convenço de que é disso que o mundo precisa: empatia.

6. Se felicidade fosse a moeda nacional, que tipo de trabalho o tornaria rico?

Viajante profissional. Ouvinte de música. Gastadora de dinheiro. Leitora frenética. Comilona voraz. Enfim, há uma ou outra possibilidade. ;)

7. Você está fazendo o que você acredita, ou você está regularizando o que você está fazendo?

Não sei - na verdade, nem entendi direito a pergunta! :P Mas sei que não acredito totalmente em tudo o que estou fazendo nos últimos tempos...

8. Se a média de vida humana fosse de 40 anos, como você viveria sua vida?

Se fosse assim, eu só teria mais uns quinze anos de vida pela frente. Uau. Não sei... gosto de pensar que viveria de forma completamente diferente. Amaria mais, me entregaria mais, arriscaria mais, faria mais, me importaria menos... Quem sabe? No fundo, duvido. Afinal, quem garante que não tenho mesmo só mais quinze anos de vida pela frente? Ou dez, cinco? Um dia? Tanto faz. Viver intensamente e aproveitar o tempo tendo a consciência de que ele passa muito rápido é um dom admirável, que poucos têm.

9. Até que nível você acredita que controlou o curso que sua vida tomou?

Um nível muito baixo. Penso nas coisas que sempre quis e nas coisas que de fato alcancei, e o abismo entre esses dois extremos me choca. Talvez eu esteja fugindo da responsabilidade, mas realmente não sei até que ponto a culpa foi minha. Às vezes acho que a estrada da minha vida foi me levando por um caminho, e todas as vezes que tentei sair dele e tomar outro rumo, simplesmente não consegui. Até que parei de tentar, e agora estou vendo onde tudo isso vai dar. Deixa a vida me levar...

10. Você está preocupado em fazer as coisas corretamente ou fazer as coisas certas?

As duas coisas. Acho que dá para conciliar.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Os comentários serão respondidos aqui mesmo, no blog.
• Comentários que eu considerar ofensivos não serão aceitos.
• Comentários de propaganda não serão aceitos.
• Caso queira falar comigo sobre algum assunto específico, deixe seu e-mail em um comentário (que não será publicado), que eu entro em contato.

Obrigada pela visita, e volte sempre!

Fernanda.