11 de jan de 2016

Hello from the other side... #1

Então, tem isso... apesar de esse blog definitivamente ser do estilo diário (coisa que eu nunca pretendi realmente, mas né, a vida, ela é uma caixinha de surpresas), nem de longe tudo que acontece comigo eu relato aqui. E tem uma coisa que aconteceu recentemente que não contei ainda. Uma coisa GRANDE, na verdade.

Pois vamos aos fatos: há aproximadamente duas semanas me mudei para a Tailândia.

Isso aí, Tailândia. Aquele país do outro lado do planeta. Um dos lugares atingidos por aquele tsunami terrível de 2004. A terra que foi cenário da trama de Anna e o Rei. O lar de um povo de olhinhos puxados muito simpático. :)


Como isso aconteceu? Olha, longa história, complicada e pessoal demais, então, vamos apenas pular essa parte, ok?

Sobre a experiência: definitivamente está sendo bem diferente. Nunca estive em um lugar como esse. Já conheci outros países, mas nunca me senti realmente tão estrangeira quanto agora. A adaptação está sendo difícil em alguns aspectos... Porém, é muito curioso: ao mesmo tempo em que a cultura, o idioma, a escrita e TODO O RESTO é absolutamente diferente, e te faz sentir realmente muito longe de casa, esse mundo globalizado às vezes te prega umas peças, porque você entra num shopping center e quase consegue esquecer que está do outro lado mundo. (McDonald's manda lembranças a todos)

Mas isso é assunto pra outro post... ;)

No momento, vamos nos ater ao seguinte tópico: O que aprendi sobre a Tailândia até agora?

- Ninguém aqui fala inglês. O que é de se esperar e perfeitamente aceitável, claro... só que ninguém fala inglês mesmo, ou falam muito pouco, e é bom estar ciente. Até quem fala inglês (como a médica com quem minha mãe se consultou esses dias, ou o moço a quem pedi informação quando cheguei sozinha no aeroporto de Bangcoc), fala com um sotaque TÃO DIFERENTE que você fica meia hora tentando decifrar. Então, esteja preparado! Porque pode ser realmente frustrante não conseguir entender e se fazer entender.

Mensagem da minha operadora de celular.
Entendi tudo, parça!
#VivaOGoogleTradutor
Então, aprenda a falar tailandês! você me diz, e eu concordo. Só tem um pequeno detalhe: o tailandês é uma língua muito diferente, e eu não sei nem por onde começar. Aliás, caso você não saiba, até a escrita deles é diferente da nossa. Então, resumindo: espero conseguir aprender alguma coisa com o tempo, mas no momento me sinto quase constantemente incomunicável e, basicamente, analfabeta. Maravilha! \o/

- O trânsito aqui é em mão inglesa, então prepare-se porque às vezes seu cérebro vai querer fazer você agarrar o motorista do carro e berrar CUIDADO, OLHA A CONTRAMÃO! Mas com o tempo você acaba acostumando.



- Ainda não entendi muito bem como funciona, mas os táxis aqui não são todos iguais, padronizados. E entre os tipos de táxi que a gente vê circulando na rua, tem um que é simplesmente rosa choque. Sério, quando vi a primeira vez achei que fosse o carro da Penélope Charmosa. Discretíssimo. Ainda não andei em um desses, mas olha: QUERO.


- Aqui na cidade em que moro não tem ônibus, e o substituto é um negócio chamado songthaew, que basicamente é uma picape ou caminhãozinho com a carroceria adaptada pra levar pessoas e que não tem segurança ALGUMA. Ou seja, prepare seu coração (e seus braços, pra poder se segurar) ao entrar em um veículo desses. Mas é o que temos pra agora, então a gente acostuma também. ;)


- Não sei se é só na cidade em que estou morando ou se é geral na Tailândia, mas o que sei é que a vida de pedestre não é nada fácil por aqui. Gente, é surreal! Quase não tem sinal de travessia de pedestres, não é todo lugar que tem faixa, e por aí vai... Os sinais são projetados para os carros e muitas vezes, em uns cruzamentos movimentados, é um pesadelo pra conseguir atravessar. Pelo que pude aprender, o método mais adequado para atravessar a rua aqui consiste em seguir os seguintes passos: dê uma olhada pros dois lados, pra garantir (porque lembra, aqui é mão inglesa, e você não quer que seu cérebro te pregue uma peça e te faça olhar pro lado errado da via antes de abandonar a segurança da calçada), segura na mão de Deus, e vai CORRENDO COMO SE NÃO HOUVESSE AMANHÃ. A sorte é que aqui os motoristas não correm tanto como os do Rio, mas olha, é doideira o negócio. :P

E olha só, esse post já está ficando grande demais! Vou parar por aqui, depois conto mais.

Beijos!

6 comentários:

  1. Tenho acompanhado de longe o plot da Tailândia desde que a sua mãe se mudou e postou aquele monte de fotos legais no Facebook e, menina, que loucura. Imagino como deve ser complicado, mas com certeza será uma experiência e tanto. Aproveite bastante todas as oportunidades que surgirem e, quando vier a crise de saudades do Brasil, a Internet está aí para diminuir as distâncias, aproveite o blog pra desabafar e compartilhar tudo ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí! ;)

      Tá sendo bem legal, na verdade. Uma oportunidade única. As dificuldades da diferenças culturais uma hora a gente supera... difícil mesmo é a saudade dos que ficaram, especialmente do meu sobrinho </3 Mas o tempo passa rápido.

      Bjss! :)

      Excluir
  2. Menina! Que loucura essa história! Mudar pra outro lado do planeta.
    MAs tudo que traz algo novo é válido! Sua mãe já aprendeu alguma coisa na língua? Eu nem me viro no inglês, imagina com esses desenhos?
    Mas bom é que está com a sua família!
    E continue postando fotos ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que nada... ngm aprendeu nada ainda. É bem difícil. A única coisa que sei fazer é cumprimentar (pronuncia algo tipo "sauadí-kááá") e agradecer (que pronuncia algo tipo "câp-khun-kááá")... fora isso, nada! :P

      No inglês eu consigo me virar bem, tanto falar como entender... o problema é que ng entende qd falo inglês, haha... só em alguns restaurantes, um ou outro taxista, e por aí vai. Normal, né. E o inglês deles é bem diferente por conta do sotaque, como eu disse... é ruim de decifrar.

      Mas a gente se acostuma ;)

      Tá sendo uma experiencia bem legal :)

      Excluir
  3. Oi Fê. Sempre te acompanho no twitter, mas pensei que vc estivesse passeando, sei lá. Só fui saber hoje que vc realmente está morando ai. Até um tempo atrás vc estava falando das suas escalas e seu apartamento e tal e como é morar sozinha, dai eu tinha ficado na dúvida rsrs. Mas boa sorte. Nossa, que aventura, eu tenho um monte de perguntas do motivo de vc ter ido e tal, como foi, se foi difícil o processo, enfim, mas aí é ser curiosa demais (é pq sou muito mesmo :P)
    Inté.

    P.S.: Adorei essas nuvenzinhas do fundo do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Virada radical na vida..! Pergunta por DM no twitter ou por e-mail, que eu respondo, hehe... não conto tudo nos detalhes aqui pq o blog é aberto pra qualquer um, né, não gosto de expor muitos detalhes ;)

      Esse background eu fiz no colour lovers! Conhece? É um paraíso, dá pra criar um monte de padrões, esse é só um dos milhares que tem lá... queria uma coisa bem alegrinha nesse momento, e esse tem tudo a ver ;)

      bjs!

      Excluir

• Os comentários serão respondidos aqui mesmo, no blog.
• Comentários que eu considerar ofensivos não serão aceitos.
• Comentários de propaganda não serão aceitos.
• Caso queira falar comigo sobre algum assunto específico, deixe seu e-mail em um comentário (que não será publicado), que eu entro em contato.

Obrigada pela visita, e volte sempre!

Fernanda.