9 de mar de 2016

Hello from the other side... #4

Continuando a série de posts, vamos lá! (Mas relaxem, que já estou ficando sem assunto... :P)

O que aprendi sobre a Tailândia até agora?

Não. Tem. Calçada. Como lidar?
- Pattaya realmente não é o melhor dos mundos para os pedestres. Já havia comentado no primeiro post sobre a dificuldade que é para atravessar ruas (já estou mais esperta, aleluia!), mas como na época ainda não estava aqui há tanto tempo e só tinha andado por lugares mais movimentados, não tinha reparado em outra questão muito importante: as calçadas são péssimas - isso quando tem calçada. Sério, são muitas as ruas em que a calçada é toda esburacada, ou cheia de mato, ou de lixo... ou que simplesmente não têm calçada, e você tem que andar pelo cantinho da estrada, torcendo pra não ser atropelada. É bem complicado! :P A essa altura já estou mais acostumada, e os motoristas definitivamente também são acostumados com pedestres andando no canto das ruas, mas ainda assim: aflição#SddsCalçadas

- Ainda falando sobre vias públicas e infra estrutura, outra coisa que não tem como não reparar: os postes, e os zilhões de fios emaranhados neles. É muito fio! As pessoas que trabalham nas companhias de luz aqui precisam manjar muito dos paranauês de eletricidade e saber muito bem o que estão fazendo, só digo isso... :P

Um doce pra quem conseguir contar quantos fios tem nessa foto. (Spoiler: não dá)

- Uma particularidade aqui de Pattaya (e acredito que da Ásia, em geral) é a forma como eles lidam com certas doenças, como gripe, por exemplo: quem fica gripado tem que usar máscara em ambientes públicos. É a coisa mais comum você andar pelas ruas e ver pessoas usando máscaras... No início eu ficava super encucada (tá todo mundo com gripe aviária, socorro!), mas depois acabei acostumando. É realmente uma questão de educação por estas bandas: estar doente e não usar máscara é uma atitude muito mal vista. Na verdade, é um embaraço espirrar ou tossir em um lugar público sem máscara, porque a chance de receber um olhar atravessado é grande. Até entendo, porém: meus pais ficaram gripados em determinado momento, e nossa, que gripe desgraçada! Muito diferente dos nossos resfriadinhos cariocas, não passava nunca, com direito a antibióticos e por aí vai. (Se bem que, pelo que tenho percebido, aqui o uso de antibióticos é praticamente indiscriminado. Não precisa nem de receita especial pra comprar na farmácia... Coisa que provavelmente gera bactérias resistentes e talvez explique essas gripes bombadas. Mas isso já é outro assunto) Enfim, então dá pra entender o lance da máscara... Se eu pegar uma gripe, com certeza vou usar, porque não estou a fim de ser fuzilada pelo olhar de uma dúzia de tailandeses revoltados com minha falta de consideração ao espalhar germes pelo ar. ;)

- E por falar em particularidades da Tailândia / Ásia, tem uma que eu AMEI e adoraria exportar pro Brasil.  Estou me referindo aos trajes de banho que as mulheres usam por aqui. Basicamente, a gente vê de tudo nas praias e piscinas: biquínis com aqueles bumbuns gigantes que cobrem tudo, biquínis fio dental, biquínis grandes, biquínis pequenos, com camisetinhas, shorts ou saias, maiôs, maiôs com shortinhos, maiôs e biquínis retrôs com cara da década de 1940, e finalmente, os vestidinhos. Sério, eles têm aqui uns vestidinhos pra ir à praia! Eu acho lindos, um mais fofo que o outro, além de serem soltinhos e parecerem mega confortáveis - perfeitos pra gente como eu, que odeia roupa colada entrando onde não deve e mostrando o que não quero. ;) Mas mais que os modelitos em si, legal mesmo é essa cultura democrática - você pode ir à praia como quiser, que ninguém fica reparando ou dando pitaco - coisa que, pelo menos na maioria dos meus círculos cariocas, não acontece: mulher tem que usar biquíni, porque maiô é coisa de vó, e ah, tem que ser biquíni pequeno, porque biquíni grande é feiozZzZzZz. #preguiça Não que eu siga isso, uso a roupa que quero usar, porém é um saco ter sempre alguém reparando e dizendo que você devia colocar um biquíni. Fico imaginando se eu aparecesse com um vestidinho desses no Rio! :P Enfim, a questão é: aqui não tem nada disso, aqui o povo tá de boas; vai como quiser, porque realmente ninguém tá nem aí. Fim. ;) (Se bem que há limites, porque algumas vizinhas disseram que outro dia tinha uma moça com cara de russa tomando sol completamente pelada aqui na piscina do condomínio. Gente! Roupa demais acho ok, mas roupa de menos na piscina do condomínio é bem esquisito, convenhamos! :P)

Postagem no Facebook de uma colega brasileira
que também está aqui. Só li verdades.
- Uma coisa muito importante e que ainda não comentei é sobre a violência em Pattaya, que, no caso: não tem. ;) Isso é realmente um ponto muito positivo de se viver aqui - a tranquilidade.  Claro, não é um lugar perfeito e tem lá suas questões... inclusive, em alguns pontos têm umas placas muito engraçadas alertando turistas sobre risco de assaltos naquela área; mas o fato é que eu nunca vi nada disso acontecer. A gente anda tranquilamente pelas ruas, a hora que for... vivemos realmente sem medo, o que é, de fato, maravilhoso. :)


E vou ficando por aqui! :) No mais, não sei se vou continuar com esses posts... Bem, pelo menos não com a regularidade que tenho mantido até agora. A verdade é que minha criatividade está no fim, e não sei mais sobre o que comentar! :P Mas se por acaso alguém tiver alguma curiosidade específica, deixa aí nos comentários, que se eu souber respondo em novos posts, ok? ;)

Beijos!

8 comentários:

  1. COMO ASSIM não tem calçadas? Essa foto, gente... Choquei.

    Eu seria muito odiada aí, porque vivo tossindo e espirrando de alergia.

    Acho que já vi desses vestidos de praia. É tipo um maiô, só que com uma saia curtinha por cima? Não sei se eu compraria um, mas acho a ideia legal. Já aprendi a usar biquini sem me importar com o que os outros vão pensar da minha bunda.

    Que coisa linda viver num lugar que não tem violência :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa rua aí da foto é inteirinha sem calçada, mas não é muito movimentada... tem ruas bem movimentadas que tb não têm calçada, mas não são a maioria. Porém, mesmo qd tem calçada, pode contar que em algum ponto vai estar ruim, esburacada, com mato... :P

      É tipo isso, eu nunca tinha visto no Brasil - muito menos as pessoas usando. E tem de vários tipos: coloridinhos, fofinhos, ou mais sóbrios... a variedade de roupa de banho aqui é muito legal, até eu que não ligo fico babando nas lojas, dá vontade de comprar vários. ;)

      Excluir
  2. Olhei pra essa foto dos fios e parece Nova Iguaçu Hahahahah

    Gente, a moça pelada na piscina Hahahahah

    Por que as placas são engraçadas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nunca fui a Nova Iguaçu pra confirmar /o\ Mas posso dizer que, no Rio, nunca vi nada igual. Talvez numa comunidade... mas aqui, é praticamente todas as ruas com todos os postes assim. Bem louco, rs.

      Foi uma das brasileira que viu pela varanda a mulher pelada tomando sol na piscina, e não dava pra acreditar! :P Tá certo que a mulher tava sozinha na piscina mas GENTE mesmo assim, haha

      Só vi essa placa em um lugar, não é muito perto da minha casa, e acabei não tirando foto, rs.. mas é engraçada pq como é pra turista, é escrita em thai e em inglês, e tem os desenhos pra quem não fala nenhuma das duas línguas. São bonequinhos tipo esses: https://enquantomeufilhonaovem.files.wordpress.com/2011/10/preferencial.jpg mas é engraçado pq é um batendo na cabeça do outro, um com os braços pro alto e o outro correndo... enfim, não era pra ser engraçado, mas na placa acaba ficando. Bem explícito o q um bandido faz com vc, pra não deixar dúvida, rs. Pior q isso, só os menus da Walking Street :P

      Bjs!

      Excluir
    2. Ah, vivi em nova Iguaçu toda minha vida e nunca vi fios assim,não, Felipe? Hahahahahah

      Excluir
    3. Hahahaha tô dizendo que no RJ nunca vi nada igual...! ;)

      Excluir
  3. Essa da calçada foi realmente tenso. Que pânico que deve dar. E esses fios? Enfim, não sou boa de comentários, mas seus posts não podem parar :) Quando estiver inspirada escreva, quando não estiver, não escreva rsrs, simples assim. :P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que ainda vou escrever, mas não com essa regularidade, rs... ;)

      Bjooos!

      Excluir

• Os comentários serão respondidos aqui mesmo, no blog.
• Comentários que eu considerar ofensivos não serão aceitos.
• Comentários de propaganda não serão aceitos.
• Caso queira falar comigo sobre algum assunto específico, deixe seu e-mail em um comentário (que não será publicado), que eu entro em contato.

Obrigada pela visita, e volte sempre!

Fernanda.