29 de mar de 2017

Perdendo pesos, ganhando forças.

Ok, aconteceu o seguinte: vim aqui para escrever uma postagem sobre um determinado assunto, mas para chegar no tal assunto dei tanta volta que acabei escrevendo sobre outro assunto completamente diferente. Um assunto que eu realmente não estava planejando comentar aqui no blog, mas olha... escrevi e nem vi. A coisa foi fluindo, e quando percebi já estava tudinho aí digitado, quase pronto pra postar.

De verdade, acho que nunca tinha acontecido nada assim em toda a minha inconstante "carreira" de blogueira. Curiosíssimo. E, estando tudo já praticamente pronto, pensei: por que não?  ¯\_(ツ)_/¯

Sendo assim, o assunto que eu tinha em mente a princípio fica para uma próxima ocasião; e segue abaixo o post inesperado... ;)

* * * * *

Para quem não me conhece, um fato sobre mim é: eu não sou magra. Comecei a engordar quando eu tinha uns seis anos de idade, e daí até minhas atuais 28 primaveras (Jesus!) já passei por muitos manequins. Digamos apenas que meu IMC já variou de "sobrepeso" a "obesidade leve", mas nunca esteve na faixa "ideal".

Demorou muito tempo pra eu perceber (ou quem sabe admitir para mim mesma) que não tenho e nunca tive uma relação muito saudável com a comida. Hoje vejo claramente que tendo a tentar compensar os desgraçamentos mentais da vida com o prazer relâmpago que comer uma coisa gostosa proporciona.

O resultado disso é que, olhando para trás, eu vejo que nos momentos mais conturbados da minha vida, meu peso aumentou consideravelmente.

Pois um desses momentos começou em 2015, quando um monte de coisas que pareciam que iam dar certo deram errado. Fiquei numa bad pesadíssima, arrastando mágoas por muito tempo... até que em julho de 2016 eu tomei coragem (literalmente) de encarar a balança e vi que tinha engordado muito, mais uma vez. Eu já sabia pelas roupas, pelas fotos, mas ainda assim foi um baque.

Foi quando decidi que, se eu não podia resolver todos os problemas, pelo menos quanto ao meu peso e minha relação problemática com a comida eu poderia fazer alguma coisa.

E fiz.

Comecei um diário alimentar, passei a fazer escolhas melhores, diminuir quantidades, me exercitar... nada muito radical, porque eu me conheço e sei que dificilmente conseguiria manter coisas muito extremas. Mas tenho feito, e tem dado certo.

Essa jornada tem sido um enorme exercício de auto-controle e auto-conhecimento. Venho descobrindo em mim facetas que nem imaginava possuir. E tem sido realmente muito bom.  Isso porque, mais do que emagrecer (e já se foram 14 quilos desde que comecei), tenho me sentido no controle da minha relação com a comida, o que é novidade para mim. Não que não tenha havido uma ou outra derrapada, isso faz parte; mas no geral tenho ido bem, e isso me faz sentir ótima. É bom demais sentir que você consegue dominar uma coisa que antes te dominava.

* * * * *

Então, veja bem, não sei se ficou claro: isso aqui não é simplesmente um post sobre emagrecimento.

Mesmo porque, aqui vai outra coisa sobre mim (que pode até não parecer depois de tudo o que escrevi aí em cima, mas que é verdade): eu nunca liguei muito para o meu peso.

Sério.

Como eu disse lá em cima, engordei ainda bem criancinha. Nem me lembro de como era a vida antes de estar acima do peso. Ser gordinha praticamente faz parte da minha identidade, de como eu me enxergo no mundo, de como as pessoas sempre me enxergaram. E por isso mesmo, acho que nunca foi um big deal pra mim. Sempre foi normal, sempre me vi com os mesmos olhos, sem me sentir menos ou mais do que ninguém por causa do meu peso. Nunca me importei muito com isso. Emagrecer nunca foi uma prioridade na minha vida, inclusive acho muito difícil que algum dia eu chegue a vestir um manequim 38... E tá tudo bem, gente. É só peso. Como eu disse, no big deal;) Na verdade, em geral são as outras pessoas que reparam, comentam e se incomodam com o meu peso, muito mais do que eu mesma. Mas isso é assunto para outro post...

Enfim. Por isso, repito: esse post não é sobre emagrecimento, não é sobre peso.

É sobre a grata surpresa de ver que consegui alcançar algo grande que me propus a fazer.

É sobre o prazer indescritível de descobrir em mim determinação, força de vontade, persistência, disciplina e outras características que a essa altura da vida eu já havia me conformado em não possuir.

É sobre o calorzinho gostoso que me aquece o peito quando ocorre o pensamento de que Ei, se eu estou conseguindo realizar essa proeza, acho que consigo realizar outras também...

É sobre conquista, esperança, e sobre como tudo isso me faz ficar feliz comigo mesma. 

Eu realmente não sei se dessa vez a mudança vai ser definitiva. Eu espero que seja, eu vou me esforçar, mas a gente não sabe o que o futuro nos reserva, se a próxima onda vai nos derrubar. O que eu sei com certeza é que me sinto mais forte. Descobri todas essas coisas em mim, agora tenho certeza de que elas estão aqui, então mesmo que eu caia de novo e de novo, sei que tenho potencial para me levantar - e aqui não estou falando estritamente sobre essa questão alimentar, mas sobre a vida, mesmo.

E essa sensação é boa demais, pode acreditar. 

#Foco #Força #Fé #Brinks :P

Beijos.

PS: Acho que é meio óbvio, mas não custa nada deixar claro: nesse texto eu estou falando exclusivamente sobre a minha experiência, ok? Não estou insinuando que todas as pessoas acima do peso têm relações problemáticas com comida, ou que precisam emagrecer, ou seja lá o que for. Somos todos livres, que cada um faça o que achar melhor da própria vida e do próprio corpo. Longe de mim essa coisa de padrão. Paz. ;)

6 comentários:

  1. Como sempre, amei o post <3 Gosto muito de me identificar e admirar a forma como as pessoas sabem se expressam, e vc faz isso tão bem *-*

    Obrigada pelo post.

    Quero mais :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou. Comentários assim alegram o dia, rs. <3 Obrigada! :)

      Excluir
    2. :D. Faltou um 'e' ali em cima: "sabem e se expressam" rs

      Excluir
  2. Amei esse também.

    Eu também não consigo me lembrar de um tempo em que tenha sido magra. Ou, melhor dizendo, magra e saudável, porque, na única vez em que estive em uma faixa de peso considerada ideal para a minha altura, eu vivia correndo com trabalho + faculdade e sentia dores horríveis no estômago.

    Sabe, eu passei muito tempo tentando emagrecer porque eu achava que precisava fazer isso, mas, na verdade, fazia pelos outros e acabava de sabotando, o que me fez engordar ainda mais. Depois que me livrei desse fardo, passei a me alimentar melhor, comecei a fazer uma atividade física regular e é provável que eu acabe perdendo peso, sim, mas como uma consequência, não um objetivo. O mais importante é a gente se sentir bem com quem nós somos, com o nosso corpo. Para mim, o que fez isso foi parar de me preocupar. Para você, foi conquistar algo a que se propôs e tenho certeza (torço por isso) que essa primeira conquista pode te trazer outras ainda maiores não apenas nessa área da sua vida.

    Parabéns pela força e determinação :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. <3

      Eu já tive sim fases de querer emagrecer, mas realmente nunca foi uma prioridade, mesmo que o mundo e algumas pessoas nunca tenham deixado eu me esquecer de que não estou dentro do padrão. Mas olha, cada vez me importo menos com esse padrão... Achar que precisamos nos adequar a ele é mesmo um fardo pesado demais. E um fardo desnecessário, que mts vezes só nos desmotiva em vez de nos impulsionar.

      Nesse momento, mais do que o meu peso, o que me incomodou foi me sentir fora do controle de mim mesma. Recuperar esse controle com certeza tá sendo a melhor parte de todo o processo. ;)

      Bjs!

      Excluir

• Os comentários serão respondidos aqui mesmo, no blog.
• Comentários que eu considerar ofensivos não serão aceitos.
• Comentários de propaganda não serão aceitos.
• Caso queira falar comigo sobre algum assunto específico, deixe seu e-mail em um comentário (que não será publicado), que eu entro em contato.

Obrigada pela visita, e volte sempre!

Fernanda.