2 de jan de 2013

Escolhas

Escolhas. Todos nós passamos por esses momentos cruciais na vida, onde é preciso fazer escolhas que irão interferir profundamente em tudo o que vai acontecer dali para frente. Casamento. Investimentos. Filhos. Profissão.

Meu momento é justamente de escolhas profissionais. Escolhas difíceis. Não vou entrar em detalhes, porque é tudo muito complicado. Mas no momento, sinto como se estivesse seguindo por uma estrada que me oferece três caminhos, e preciso escolher qual deles seguir...

* * *

- Posso continuar seguindo em frente, na mesma direção. Continuar o que estou fazendo. Provavelmente é o caminho mais cômodo, já que é o que todos esperam que eu faça. Mas eu sei que continuando nesse rumo, provavelmente serei muito pouco feliz - ou mesmo infeliz.

- Posso tentar um caminho totalmente novo. Jogar tudo para o alto, dar meia volta e tomar uma direção oposta, sendo provavelmente considerada louca, talvez mal-agradecida e inconsequente por abandonar tudo a essa altura. Prosseguir por esse novo caminho em busca de um ideal. Arriscar ser incrivelmente feliz, satisfeita e realizada se tudo der certo... ou profundamente frustrada e pobre se tudo der errado.

- Tentar um outro caminho menos suntuoso, sem curvas dramáticas. Um meio termo, estável, tranquilo, direto, que provavelmente não vai me trazer grandes alegrias, mas que também não deve me trazer grandes dores de cabeça.

* * *

Ah, escolhas. Por que são tão difíceis?

Eu acho que a vida deveria vir com uma espécie de roteiro, indicando qual seria o resultado de cada escolha. Desse jeito, poderíamos viver sem medo de ter alguma surpresa desagradável pela frente e descobrir que tomamos a decisão errada.

Fica a sugestão, Deus! ;)

* * *


6 comentários:

  1. Acho "escolhas" as coisas mais difíceis da vida. Na verdade, acho que a vida é basicamente isso. O pior é que ninguém pode fazer por você. Até pode, mas não parece certo, afinal a vida é sua.

    Eu fico pensando se consigo ser feliz na área profissional se ela me der apenas dinheiro. Talvez se nas outras áreas (família, amigos, afetiva, etc) eu for feliz, consigo suportar uma carreira pra baixo. Mas pelo menos dinheiro ela tem que dar! rs
    Não consigo jogar tudo para o alto (mesmo querendo às vezes) mas áreas profissionais são tão VASTAS que dentro da área em que já estamos com certeza há algo que nós amamos. TEM QUE TER.
    Não custa nada também tentar se desenvolver em mais de uma área (Claro que custa, mas ignore os aspectos práticos), é bom ter sempre um plano B.

    PS: Esse tema é tão Being Erica!

    ResponderExcluir
  2. Gostei do seu post.

    Eu estou no momento de "fazendo a escolha que os outros querem pra mim", no começo pensei que fosse medo, mas agora percebo que ninguém quer me ouvir, dizem que sou capaz, dou conta e tudo, mas se EU sei que não consigo, que não quero, pq insistir?

    Agora sinto raiva, mais raiva que nunca. Já falei duas vezes que não consigo, mas insistem, quero ver quando der alguma coisa errada, e eu vou dizer: "falei isso desde o começo, mas ninguém me ouviu".

    ResponderExcluir
  3. - Felipe:

    Realmente, a vida é totalmente feita de escolhas... desde as mais simples às mais complexas.

    Com certeza, ganhar dinheiro é FUNDAMENTAL pra felicidade na profissão. Afinal, vc trabalha pra isso! E essa é uma das perspectivas que mais me desanima no meu rumo atual: ter que trabalhar MUITO, e ter que estudar MUITO coisas que nem me interessam de verdade, pra no final ganhar uma merreca. Não acho que valha a pena... se é pra ganhar pouco, que pelo menos seja fazendo algo que você goste, ou que não te mate de estresse. Ou se vc faz algo que não gosta realmente, que pelo menos seja bem pago por isso. Enfim.

    O ideal é fazer o que se gosta, e ganhar MUITO. Será que dá? haha...

    ------------------------------

    - Dandra:

    É, complicado, mesmo... eu, graças a Deus, não tenho sido obrigada a lidar com cobranças ou pressões diretas. As pessoas que mais poderiam me criticar, na verdade estão de certa forma me apoiando. O que é muito bom, um alívio! Mas da parte dos outros, sei que, dependendo da minhas decisões, vão vir julgamentos por aí... Mas, que se dane. A VIDA É MINHA, O POBREMA É MEU. Basicamente é isso...

    Ainda não sei se vou jogar tudo pro alto, mas decidi não fechar as portas. Nenhuma delas. Especialmente se o motivo for receio dos que as pessoas vão pensar de mim. Vou seguindo, e vou ver no que vai dar. Espero que dê certo, seja lá onde a vida me levar :)

    Quanto a você... Não sei. A vida é sua. Se eu pudesse dar um conselho, diria: faça o que vc acha que deve fazer, independente dos outros. Não que seja fácil, claro... mas vale a pena.

    Boa sorte com as suas escolhas! :)

    ResponderExcluir
  4. É, parece que deu certo quanto a escolha. Estou mais tranquila, sei que essa decisão desaponta algumas pessoas, mas acho que agora dou conta do recado. Acho que nem todo mundo tem perfil pra determinadas profissões, eu sei do que sou capaz, gosto de colocar a mão até onde posso alcançar.

    Seu post apareceu na hora certa pra mim :)

    Boa sorte nas suas escolhas, que vc seja muito feliz com a escolha :)

    ResponderExcluir
  5. Dandra:

    Que bom! Fico feliz :)

    Que você colha bons frutos da sua decisão...

    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Fernanda! Que bom que resolveu voltar a blogar com o Inescrita! Amei o nome do blog =) Escolhas são sempre muito difíceis. São tipo aquele remédio que arde, mas é necessário, né? Entendo o que você quer dizer...
    Beijos!
    Continue postando

    ResponderExcluir

• Os comentários serão respondidos aqui mesmo, no blog.
• Comentários que eu considerar ofensivos não serão aceitos.
• Comentários de propaganda não serão aceitos.
• Caso queira falar comigo sobre algum assunto específico, deixe seu e-mail em um comentário (que não será publicado), que eu entro em contato.

Obrigada pela visita, e volte sempre!

Fernanda.