23 de mai de 2016

Longe...

É noite. Brisa fresca soprando, bagunçando levemente os cabelos. Lá embaixo, luzes brilham. Carros, casas, gente, vida... No alto, escuro: as luzes do céu tristemente ofuscadas pelas luzes das gentes.

No horizonte, o mar, negro na noite sem luar. Lustroso, calmo, sereno. Silencioso. Misterioso. De encher os olhos, como sempre...

Ao longe, ilhas. Ou a sombra delas? Algumas iluminadas, brilhantes. Outras escuras, seu negrume quase escondido na quietude das águas. Tão longe... Do alto, tudo parece longe.

E ali, perdidos no breu, os barcos. Ah, os barcos... Tantos. Lá se vão eles, pequenos pontinhos de luz na escuridão. Eles vão... eu fico. E me perco em divagações: para onde vão? Penso em aventuras, em lugares bonitos, em empolgação, em novidade. Me pergunto quem está lá, me pergunto por quê...

Mas, principalmente, me pergunto: será que podem me levar?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Os comentários serão respondidos aqui mesmo, no blog.
• Comentários que eu considerar ofensivos não serão aceitos.
• Comentários de propaganda não serão aceitos.
• Caso queira falar comigo sobre algum assunto específico, deixe seu e-mail em um comentário (que não será publicado), que eu entro em contato.

Obrigada pela visita, e volte sempre!

Fernanda.